[Review] Aldred: Knight of Honor

Quer saber de algo bacaninha? Os desenvolvedores brasileiros de games estão crescendo e aparecendo cada vez mais no Nintendo Switch. Há vários títulos com a cara nacional que vão desde No Heroes Here a Dandara. E agora, o mais novo nome a entrar nesse clube é o estúdio Bitstain, desenvolvedor de Aldred: Knight of Honor, game recém-lançado para o híbrido da Big N.

A aventura conta a história do herói que dá nome ao jogo. Ele deve encarar muitos desafios e inimigos para proteger seu mundo contra forças malignas. Assim ele fará uso de armas diversas, magias famosas como fogo e gelo, e reflexos apurados para garantir o êxito em sua missão.

Ele tem cara que poderia ter sido lançado no Mega Drive, mas que provavelmente não teria um grande destaque. Sendo um action-platformer, o jogo exige certas coisas do jogador, mas não oferece as recompensas necessárias para que a quest seja sublime.

Aldred: Knight of Honor é um game de “poréns”.

Sua arte é bonita, porém repetitiva. Não há grande diferenciação de inimigos a não ser por mudanças de cores. Os chefes são peças curiosas, alguns dão a sensação de que não pertencem ao jogo, como um monge com cabeça de bode; outros funcionam muito bem como um dragão no começo da aventura. O cenário é bem construído, porém parece que sempre estamos no mesmo local com pequenos detalhes novos entre eles. A falta de variedade é uma marca do game.

A trilha sonora é excelente, porém são poucas faixas, fazendo com que logo passe a se repetir. Durante a aventura, juntamos moedas que podemos usar para comprar novas habilidades, aumentar nossa vida ou mana, etc. Algo básico quando querem utilizar elementos de RPG, porém tirando o crescimento da barra de HP, as outras opções não são bem utilizadas. Durante a minha jogatina, pouco usei as magias contra inimigos, senti que era mais fácil simplesmente acertá-los com a minha arma de mão. Com certeza, uma chance desperdiçada pelos desenvolvedores.

Há bastante desafio em Aldred: Knight of Honor, porém as fases acabam ficando extensas, e você acaba morrendo mais por causa da perda de interesse do que pelos adversários. A jogabilidade funciona quase sempre muito bem, porém de vez em quando o controle acaba não reconhecendo seu apertar de botão e aquele pulo duplo que parecia ordinário, acaba resultando em uma morte precoce.

Eu realmente não acho que este é um game que vai figurar na lista de favoritos de muitos por aí. Aldred: Knight of Honor consegue entregar o que promete, porém lhe faltou um pouco mais de coerência e ambição. Talvez remover os elementos de RPG e oferecer uma aventura direta e reta, talvez definir um melhor desenvolvimento desses pontos e não sub-utilizá-los. Porém, o game custa menos de dois dólares, um valor que passa a ser pequeno para a aventura como um todo. Definitivamente você recebe mais pelo o que pagou.

Nota final: 6/10