[Entrevista] Conheça mais sobre Valiant Saga

Por Jorge Miashike

Fernando Bastos, ou Nando Bastos como é mais conhecido nas redes sociais, é um dos sócios da Pixhitt, a desenvolvedora do jogo Valiant Saga. O cara é Game Designer e Pixel Artist, atuando em parceria com o seu amigo Bernardo Dias (que faz toda parte de programação e efeitos visuais do jogo). Conversamos com o Nando sobre o game que logo mais será lançado:

Indie On: Em qual estágio está o desenvolvimento de Valiant Saga?

Nando Bastos: Nós começamos o desenvolvimento utilizando a engine Clickteam Fusion 2.5, e após mais ou menos dois anos, percebemos que ela não nos atenderia. Ela é uma excelente engine 2D, mas não se comunica bem com os consoles da geração atual e possui muitas limitações. Com isso, no início do ano passado, o Bernardo trouxe a ideia de migrarmos para a Unreal Engine, o que nos custou bastante tempo, por ser uma ferramenta com pouco material 2D. O Bernardo teve que estudar e aprender a utilizar a ferramenta.

Atualmente, já conseguimos portar 90% do que foi feito no Fusion, além de adicionar muitas novidades. No entanto, nós estamos trabalhando em uma fase por vez. Desde o começo, a nossa ideia sempre foi ter uma demo bem polida para apresentar aos jogadores. Além disso, existem muitos materiais que já deixamos adiantados, como músicas, mecânicas, sons etc. Tudo isso será utilizado ao longo do projeto. Podem apostar que nós estamos avançando.

Indie On: Quais as modificações mais significativas feitas recentemente?

Nando Bastos: Essa pergunta é muito boa. Agora que estamos usando uma engine 3D, praticamente não existe mais limite. Das principais diferenças, posso destacar três:

  • Efeitos especiais em 3D, incluindo incidência de luz e sombra nos pixels do jogo, o que dão um efeito incrível se bem utilizados.
  • A possibilidade de utilizar ilustrações em full HD, seja para os diálogos, cutscenes etc.
  • Maior liberdade com a câmera do jogo. Podemos utilizar zoom in ou out sem distorção de pixels.

São muitas vantagens, acredite.

Indie On: Em 2017, o desenvolvimento contava com você e o Bernardo, atualmente quantas pessoas estão envolvidas no desenvolvimento de Valiant Saga?

Nando Bastos: Exclusivamente no Valiant Saga, nós dois permanecemos firmes e fortes, contando com o apoio do músico americano Daniel Edenfield. Ele está encarregado da trilha sonora em Power Metal, atualmente.

Eu estou trabalhando em outro jogo em paralelo, o qual falarei em breve. Esse com outro programador que já faz parte do time e será apresentado em breve, ele é o nosso personagem secreto. Aliás, vale ressaltar que esse projeto é mais simples, então, não atrasará o Valiant Saga em nada. É em pixel art também, mas é um 8-bit, estilo Nintendinho. Não divulgamos nada ainda, mas não irá demorar.

Indie On: O projeto tem recebido algum apoio financeiro?

Nando Bastos: Além do Bernardo e de mim? Não!

Brincadeiras a parte, eu acho que ser desenvolvedor indie passa muito por isso: você procura fazer o máximo possível com as suas próprias forças, antes de pensar em receber ajuda. Eu acredito que estamos escrevendo um capítulo interessante, onde a persistência e a força de vontade de um motiva o outro.

Estamos virando noites no projeto, trabalhando fins de semana, sempre que temos um tempo livre entre os afazeres da vida cotidiana. E nós somos teimosos demais para desistir. Ainda mais depois da quantidade de feedback extremamente positivos que recebemos, tanto nas redes sociais, como nos eventos, Game XP e Geek & Game, em que apresentamos uma versão pré-alpha do projeto.

Indie On: Há alguma previsão de lançamento do jogo?

Nando Bastos: A demo está saindo do forno. A progressão do desenvolvimento depende muito da nossa percepção após uma primeira bateria de testes feitos com a comunidade e a reação da mídia especializada também conta bastante. É provável que com o feedback, a gente repense uma coisa ou outra, sobretudo no balanceamento do jogo.

Mas respondendo, eu gostaria de já lançar em 2020. Vamos trabalhar pra isso. Contamos com o apoio de todos. Obrigado pelo espaço.

Jorge Miashike é redator do DGDC News onde escreve sobre cultura pop.