[Review] ONE STRIKE

“Venha para One Strike, e torne-se o lutador mais mortal do Japão antigo!
Apenas um golpe separa você da vitória em cada luta!”

One Strike é um jogo desenvolvido pelo estúdio brasileiro Retro Reactor, e publicado pela QubicGames. A regra aqui é clara: já a partir do seu título, quem atingir o primeiro golpe no duelo, ganha!

É um conceito tão simples de se entender, mas que ao mesmo tempo tráz um frescor diferente para a forma que jogamos games de luta.

One Strike inicialmente trazia 6 personagens selecionáveis. Mas uma atualização trouxe um novo membro, o demônio Oni, totalizando agora 7 lutadores disponíveis para se escolher.

São eles:

Kenji, um honrado samurai que se apropria da sua katana. Possui um ótimo alcance, porém com ataques e defesas não tão rápidos.

Hinode, um ninja que golpeia suas armas e possui uma grande velocidade para surpreender em ataques próximos.

Soujirou, o monge, equipado de Nodashi, é uma das armas que possui um ótimo alcance no jogo e ataque rápido.

Hangaku, uma garota samurai bem rápida, possui uma corrente Kusarigama como arma, tendo assim o maior alcance no jogo. Também se equipa da corrente para ataques próximos.

Bailong, um veterano chinês e seu orgulhoso bastão Kwan dao, tem um ataque de bom alcance e uma rápida defesa, pode surpreender o inimigo.

Tomoe, assassina com sua afiada espada Wakizashi, é uma das samurais mais rápidas na movimentação e possui um ataque duplo.

Oni, o demônio com seu maciço bastão, possui um ataque rápido e uma excelente movimentação.

Em One Strike são utilizados apenas dois botões de ação, um para ataque e outro para defesa. Você também pode controlar seu personagem para frente ou trás durante a luta, não existe pulo nesse jogo, mas alguns lutadores também possuem um “Dash” extra para acelerar ou voltar, isso depende das armas que são equipadas, portanto conheça bem seu personagem para saber de ele possui essa habilidade.

Por trazer 7 personagens, é bom testarmos cada um muito bem para dominarmos cada estilo de luta de cada guerreiro para ser mais esperto que o adversário. Um exemplo que tive foi como a primeira vista eu achava absurdo o ataque da Hangaku, que quase a meia tela de distância me acertava fácil com sua corrente, até que ficou claro o quanto ela “avisa” rapidamente antes que dará seu ataque, e assim pude começar a evitá-los, defendendo no tempo exato.

One Strike possui 4 modos de jogos:

THE ONLY LIFE: Assim como na vida real, você tem apenas uma vida, uma chance, tem que vencer todos sem ao menos perder uma única vez. É o meu modo predileto de jogar, pela atenção máxima que exige termos em cada luta.

ARCADE: Você inicia com 5 vidas, vence quem acabar com todas as 5 vidas do oponente, tornando-se um modo “Melhor de 5”. É o modo mais fácil para você conhecer bem os personagens, já que assim temos espaço para testarmos, arriscarmos e aprendermos com as diferentes habilidades. O jogo não tem um modo treino, então esse modo Arcade acaba sendo nossa maneira de melhorarmos nossas lutas.

TEAM DUEL: Um modo de 3 contra 3, similar ao que vemos em The King of Fighters, por exemplo, é um modo bem legal, mas que por possuir apenas 7 personagens em One Strike, vemos muita repetição nas formações dos trios conforme avançamos.

TOURNAMENT: Um Torneio para até 8 jogadores numa tabela, podendo ser preenchidos por personagens de I.A., ou controlados por pessoas mesmo.

Todos os modos possuem as dificuldades Fácil, Médio e Difícil.

A tela de finais com os personagens são bem simples e praticamente iguais. Não existe um “chefão”, a batalha final é contra uma cópia de seu próprio personagem.


O título possui, também, uma tela para acessarmos e sabermos os modos que já terminamos, com quais personagem e em quais dificuldades.

Os gráficos de One Strike é um misto entre os 8 e 16 bits, os personagens e cenários são bem pixelados, dando um aspecto único na arte do jogo. O som empolga, ótimas músicas, que caem bem nas batalhas, o tema também se destaca, e a faixa de seleção de personagens vai te levar na memória para os clássicos Samurai Shodown da SNK.

One Strike é um bom jogo, cuja forma simples de controle pode ser ótimo até para os que tem dificuldade com os Fighting Games tradicionais que conhecemos. Talvez você enjoe rápido pela pequena quantidade de personagens, mas o preço do jogo (R$10,89 na Steam) vale sim a sua experiência única com esse jogo de luta.

Pra terminar, uma expansão paga está disponível, trazendo mais 3 personagens e 3 cenários novos ao game.

Nota final: 7/10