[REVIEW] Songs for a Hero – A Lenda do Herói

Grandes projetos podem surgir de pequenas ideias, algumas boas como “e se o coringa virasse o vilão de uma maneira mais real ao invés de usar produtos químicos?”, e ideias bem estúpidas como “chamar Patrick Stewart para fazer o papel de Cocô no Emoji Movie”.

No caso de hoje, vamos falar de algo diferente. Geralmente jogos inspiram vídeos musicais, compilados de cenas ou até mesmo mods e fan projects, porém este foi ao contrário, um vídeo dos Castro Brothers de 15 de janeiro de 2012 chamado “A Lenda do Herói”, onde eles cantavam sobre um pequeno herói que ia salvar a princesa, passando com o vídeo uma bela animação no estilo de jogos clássicos da era 2D. Na época, o vídeo fez tanto sucesso que muitos fãs pediram para que se tornasse um jogo de verdade.
E com a ajuda do Estúdio Criação Dumativa eles iniciaram um crowdfunding na plataforma Catarse inicial de R$ 125 mil. Em 60 dias, eles arrecadaram mais do que o dobro! Atingindo R$ 258.587,00 e 6112 apoiadores, sendo uma das campanhas recordistas do Brasil na época.
Com isso surgiu Songs for a Hero – A Lenda do Herói lançado para Microsoft Windows.

O jogo tem uma apresentação decente, belos gráficos que retratam muito bem o estilo 2D com boas animações e uma história simples de ser seguida. O clássico herói que vê o pedido de uma princesa e assim inicia sua aventura, contando até com pequenas cutscenes dubladas tanto em português como inglês, o que também afeta as músicas, pois como no vídeo em si eles cantam enquanto você tem sua aventura o que pode ser um problema grave que logo voltaremos para isso. Assim seguimos derrotando inimigos, passando por plataformas e até enfrentando chefes lembrando o clássico Wonderboy ou o hack mais conhecido aqui no Brasil Mônica na Terra dos Monstros.

Tudo rola com uma apresentação bem simples com um mapa bem animado e simples de seguir, podendo tanto ir e voltar para pegar itens que não podia antes. Mecânica bem popular no gênero metroidvania. A exploração é funcional e conveniente. Além disso os controles respondem com excelência, dando tranquilidade ao jogador na hora de se arriscar por locais mais complexos.

Há itens que podem receber upgrades úteis como o escudo e o gancho (esse perfeito para fãs por speedrun). Mesmo com a jogabilidade sendo bem completa, há momentos onde a precisão tem que ser perfeita e itens como o já citado gancho exigem uma frieza por parte do dono do controle que pode incomodar algumas pessoas. Nada que estrague a jogatina, mas é bom saber que nem tudo são flores em Songs for a Hero – A Lenda do Herói.

Ao jogar a aventura, nos deparamos com um dos poucos problemas do jogo: como ele é baseado em um vídeo musical, todos os níveis tem a narração dos irmãos Castro que no começo é legal e tem seu charme por ser algo muito novo e criativo, mas do mesmo motivo que ter um bardo em sua Party é divertido por algumas partidas, ele se torna irritante, pois canta toda a ação que você tem na aventura, desde achar um inimigo novo até errar o salto em algumas partes. Momentos da narrativa têm cortes claros de som o que entra no segundo problema que são as cutscenes.

Por mais bem feitas e animadas que elas sejam, elas NÃO podem ser puladas, coisa que ao voltar para fazer um nível novamente para pegar itens ou até morrer em algum percurso do game chega a ser irritante. Imagine passar por toda a cantoria mais uma vez e todas as cenas só para tentar refazer um trajeto, o game até inclui uma opção de diminuir o volume da voz do cantor e deixar apenas a música, entretanto fica aquela sensação de que há algo faltando.

Songs for a Hero – A Lenda do Herói cumpre bem o que promete. O título tem um alto fator de replay, pois muitos itens , chefes e caminhos alternativos podem ser encontrados em uma segunda run olhando em cantos que não podiam ser encontrados antes. É divertido, diverso e muito belo de se ver e jogar, incluindo várias referências a jogos como Megaman, Metroid e Castlevania, além de memes da cultura brasileira. Há pequenos problemas aqui e ali, mas nada que atrapalhe essa grande história e gameplay digna de se voltar e tentar novamente sempre que tiver vontade.

Ah! Apenas com o volume do cantor um pouco mais baixo depois da décima vez retornando a um nível.

Nota Final: 8/10

*Análise feita com código cedido pela distribuidora