[REVIEW] HARDCORE MAZE CUBE

Não é de hoje que vemos jogos que buscam trazer uma dificuldade elevada, no mundo dos jogos indies isso é bem comum. HARDCORE MAZE CUBE, da conceituada produtora brasileira “QUByte Interactive”, é mais um game assim, e que de certa forma, faz jus ao nome demais!

É necessário já dizer que o game foi feito propositalmente para você sofrer, para você passar algumas raivas, pra você morrer tantas vezes, até conseguir aprender com os todos os pontos de erros. O jogo deixa claro que se baseia totalmente na prática de errar e aprender, (mesmo que você tenha que errar várias vezes mesmo), e que é isso que o levará a perfeição de cada novo labirinto. Não é qualquer um que vai sobreviver a todos os labirintos do jogo, que até brinca que isso é “apenas para uma certa elite de jogadores”.

Somos um personagem, em forma de cubo, coberto por algum tecido escuro e com olhos e boca, uma cicatriz, e a face elaborada ajuda ao nosso cubo ser bem expressivo a algumas ações. Devemos andar por labirintos até encontrarmos o ponto final de cada um, claro que isso será bem mais difícil do que parece, com diversos tipos de armadilhas surgindo na sua frente quando você menos espera, é necessário aquele cuidado sempre. O som do jogo é altamente minimalista, e colabora para destacar os sons do ambiente ou inimigos próximos, é preciso se manter atento aos detalhes sonoros de onde estamos no trajeto, se fixe em detalhes de cenários também, para assim prevermos o próximo perigo. O som ambiente do jogo é um dos grandes fatores de HARDCORE MAZE CUBE.

SOBREVIVENDO AO LABIRINTO

No labirinto não podemos saber (e nem ver) o que tem em cada trecho, para saber o que terá lá é necessário entrar, as coisas surgem conforme andamos, e isso pode incluir até mesmo inimigos que, de repente, podem surgir e te matar com um tiro, isso tudo faz com que morrer seja uma das formas de traçarmos, ao longo do labirinto, o melhor caminho a se seguir.

Nosso cubo morre com apenas um único acerto, então é necessário aprendermos qual o melhor trajeto a se fazer, sempre que voltarmos a reiniciar o labirinto. Vale lembrar que as armadilhas, inimigos e tudo o mais, sempre reaparecerão nos mesmos lugares, por isso o modo tentativa e erro vale aqui, só assim decoramos o mais seguro trajeto a se fazer.

Ao encontrarmos no mapa um ícone branco do enigma (que obviamente também irá brotar de repente na nossa frente), teremos a chance de concluir enfim mais um labirinto, mas claro que nada aqui é pra ser fácil, seremos convocados para participar de um enigma de adivinhação (similar a brincadeira “Forca” de palavras). Uma questão surgirá, uma barra de tempo começará a correr, e temos que descobrir a resposta assim, sem dicas… e rapidamente antes do tempo acabar! E caso errarmos, claro, iremos perder uma vida e reiniciar o labirinto.

Muitas vezes o que encontramos no Enigma são perguntas aleatórias, cujo único intuito é desesperar o jogador caso a charada o pegue de surpresa. Em uma fase recebi a charada no enigma: “ESTOU MOLHADO AO SECAR. O QUE SOU?” (Lembrando que o jogo está totalmente em português), a resposta seria TOALHA, e existem caminhos para te facilitar na resposta ao Enigma. Ao logo do mapa existem quatro pergaminhos escondidos, caso ache um deles, uma parte da resposta é revelada, achando todos os quatro, a resposta inteira já é dada a nós. Quando chegamos ao encontro do Enigma, ele pergunta se estamos prontos para a charada ou queremos voltar ao labirinto, pense antes de aceitar o desafio (que muda sempre quando você reinicia o nível) se já está seguro com a quantidade de pergaminhos que você tem em mãos, obviamente você pode arriscar a responder sem ter nenhum, mas aí a dificuldade será maior.

Alguns enigmas terão a ver com desenhos que aparecem pelo labirinto, sendo assim, a resposta final será sempre idêntica, o Enigma apenas o embaralha para te confundir, decorando as respostas desses labirintos, fica fácil avançar. Nesses enigmas correspondentes a algo do cenário não teremos que achar pergaminhos. O jogo segue se revezando, em charadas aleatórias e charadas com dicas da fase que está.

TODO CUIDADO É POUCO

A partir da segunda fase, cada novo labirinto apresenta um SAVEPOINT, mas ele deve ser encontrado também, ficando sempre escondido em lugares estratégicos do mapa, caso você não o encontre e acabe morrendo, você volta para a última fase que encontrou o savepoint. Essa é a parte que pode frustrar alguns jogadores, um exemplo: Uuma hora eu cheguei na quinta fase, me arriscando nas respostas do Enigma, mas morri na próxima, e claro… voltei à segunda fase.

Mas lembra-se que eu disse que você deve sempre aprender com o erro que comete? Então, assim eu aprendi que o melhor a se fazer é, ao chegar num novo labirinto, focar em encontrar o savepoint, mesmo que você morra várias vezes, é melhor garantir encontrá-lo do que avançar e voltar tudo depois, e se frustrar muito. Essa é a minha dica aqui, procure o savepoint, sempre!

Graficamente falando, HARDCORE MAZE CUBE possui simples (mas eficientes) animações e um visual único monocromático de ambiente escuro, que se repete ao longo de todo o jogo.  Não à toa o tom escuro do labirinto assegura o drama de morte a qualquer instante. Alguns elementos coloridos aparecem com alguns inimigos. O ar repetitivo de cenário começa a pesar um pouco ao passar as primeiras fases.

MORRENDO E APRENDENDO

Morrer é uma das maiores certezas desse jogo, nosso personagem cubo começará a jornada com 1 vida disponível, ao longo dos labirintos podemos ir coletando vários pequenos CUBICS, e a cada 30 deles coletados, ganharemos uma vida extra. Também podemos usar um poder de “endurecer”, e assim ataques não nos atingem, obviamente até esse nosso poder tem que ser usado em timing perfeito, caso contrário pode ser tarde demais e não conseguiremos nos defender. Se a nossa vida chegar a zero, o jogo inicia desde o começo ou desde a última fase em que o savepoint foi encontrado.

Não é porque um cenário foi concluído que o próximo será de mesmo nível, cada um tem muita particularidade entre eles, novos tipos de inimigos, novas armadilhas, novos elementos no cenário, novos obstáculos. Exemplo: Em uma fase eu precisava achar uma chave, voltar, e abrir um portão (tudo isso sem morrer), em outro caso, alguns labirintos você controla uma luz (com o analógico direito do controle) para ir iluminando o ambiente, e assim ir fazendo o trajeto no labirinto, essas fases exigem ainda mais nossa atenção. Um dos grandes pontos do jogo é essa boa renovação de um cenário ao outro, fazendo o gameplay não se repetir tanto ao jogador.

De jogabilidade também simples, nosso Cubo anda por 8 direções, podendo ganhar uma rápida velocidade ao coletar alguns CUBICS, os labirintos determinam se iremos subir, descer ou andar em lateral, não adianta querer sair sempre correndo desesperado, como já dito, se tudo pode vir a aparecer na sua frente de repente. O Cubo possui um aspecto de se parecer bem leve, sendo gostoso de controla-lo pelo cenário, mas lembre-se, um erro pode ser fatal!

HARDCORE MAZE CUBE traz uma campanha principal, o modo INSANO (para os sadomasoquistas de plantão!), o modo POR UM FIO, em que devemos terminar um labirinto em um determinado tempo, e o modo “SEM ESTRESSE”, em que não existe inimigos e armadilhas, mas para liberar as fases para esse modo é necessário conclui-las antes no próprio modo campanha.

VEREDITO

É complicado recomendar esse jogo para qualquer um, se você não tem atração para jogos que gostam de abusar de dificuldade, passe longe de HARDCORE MAZE CUBE.

Mas, se você tem uma atração para jogos que te intimidam, (tais games como “The End Is Nigh”, “Super Meat Boy”, “Cat Mario”, “Ikaruga”, “Cuphead”, etc…) e adora buscar por desafios absurdos a serem superados, esse jogo merece sua atenção. Preciso confessar que, apesar de ser difícil, é muito gratificante vencer cada novo labirinto!

*Análise feita com código cedido pela distribuidora.