[REVIEW] Star Renegades

“J5T-1N, um robô operário, acaba de chegar à sua dimensão para avisar sobre o Imperium, uma força devastadora que trará ruína e caos.”

É com essa premissa que os primeiros minutos de Star Renegades começam. Sabemos que vivemos em uma dimensão que está sendo atacada pelo Imperium, uma força cruel que quer dominar o mundo e controlar todos os seus recursos, mas mais do que isso: vão passar por cima de qualquer empecilho com suas máquinas e armas potentes. Cabe aos heróis da Resistência se esforçarem para chegar ao coração dos inimigos e derrotá-los.

A cada nova investida, heróis vão perecer, e caso haja uma derrota, o simpático robozinho J5T-1N precisa abandonar a dimensão atual e seguir para uma próxima avisar os novos heróis. É com essa pegada de dimensões paralelas que todo o sistema rogue-like funciona, ou seja, faz sentido na narrativa e na jogabilidade.

Boas mecânicas

Desenvolvido pelo estúdio Massive Damage Inc e publicado pela sempre interessante Raw Fury, Star Renegades é um título de RPG tático rogue-like. O game chegou aos PCs em setembro de 2020, e novembro aos consoles Xbox One e Nintendo Switch. Sua jogabilidade funciona com mapas gerados de forma procedural, grande dificuldade, progressão lenta, e derrotas permanentes (pelo menos em relação à dimensão que está jogando). A cada novo “game over”, o robozinho segue para a próxima dimensão para que o jogador recomece a jogatina.

Isso quer dizer que cada vez que iniciar uma campanha, ela nunca será exatamente igual a anterior. É verdade que de vez em quando os inimigos se repetem assim como as mecânicas de batalha, porém as estratégias que usamos acabam mudando, fazendo com que a sensação de novidade seja frequente. Como o alto desafio é marca do gênero rogue-like, há a necessidade dos desenvolvedores de manterem a vontade do jogador de continuar, e isso ocorre aqui.

A jogabilidade envolve um mapa (sempre diferente do anterior) onde nosso grupo de heróis explora e realiza batalha contra os inimigos. Aqui é possível encontrar itens como armas e equipamentos que poderão ser adicionados ao arsenal de algum personagem, também poderemos encontrar cards que serão usados no acampamento para estreitar laços com nossos companheiros liberando, assim, mecânicas como combos e bonus. Cada mapa se resume a três dias de exploração e preparação até enfrentarmos um chefe chamado de Behemoth. Este eleva a dificuldade a patamares grandiosos. Não se desanime ao perder os primeiros confrontos, pois eventualmente vai sair vitorioso e a sensação será bem bacaninha.

O sistema de batalha é o grande astro de Star Renegades. Tudo funciona em turnos, temos personagens de classes e utilidades diferentes como tanques e assassinos, mas o grande foco é o sistema de interrupção. Aqui sempre sabemos qual ataque será usado pelo adversário, assim podemos planejar nossos movimentos para interromper as investidas e sempre estar a frente. É claro que as batalhas sempre tomam direções surpreendentes para nos empolgar, garantindo aquele “soco no ar” quando completamos nossos objetivos.

Grande time

Há dezenas de personagens jogáveis na aventura, mas começamos com apenas três. Um belo ponto de progressão é o fato que após cada partida, conseguimos pontos que podem liberar novos heróis de acordo com nossas necessidades. Aqui faz jus a experimentação, variar seu time, testar habilidades, combos, armas. A progressão é devagar, mas não o suficiente para largarmos o controle.

É importante pensar na participação de cada membro. Cada classe possui suas vantagens e desvantagens. Por exemplo: o Saboteur possui grande nível de velocidade, sendo perfeito para causar interrupções, mas dá pouco dano e possui pouca vida. Para isso, usamos um Archon que aguenta mais porrada e ainda regenera os escudos de seu time. A Valkyrie é letal na peleja, dando muito dano e derrubando muitas defesas, mas sem uma proteção frequente, será sempre a primeira a cair.

Essa mistura faz com que o planejamento em Star Renegades seja além do combate, pois ele começa na seleção de seu time. Algo que me prendeu por horas, pois sempre quis encontrar a melhor combinação. Outro ponto empolgante é que ao realizar acampamentos, podemos criar amizades que mais pra frente poderão se tornar relacionamentos. Assim, bebês podem nascer que vão oferecer novas classes e combinações. Sensacional!

Todas as dimensões

O review desse game foi feita em um Nintendo Switch, então é sempre interessante falarmos de performance e todas essas dimensões. Os gráficos são pixelados, as cores belas, e a arte muito competente. Cada personagem possui feições e características dignas de uma boa revista em quadrinhos. Os robôs e inimigos também são muito bem trabalhados, ainda mais se tratando de uma grande variedade.

Durante a jogatina, não notei nenhuma queda gritante de quadros por segundo. Tudo corre em 30fps de forma tranquila. Como joguei antes do patch de Day-One, houveram crashes e bugs, mas depois do patch, tudo melhorou consideravelmente. Infelizmente, o loading é longo, provavelmente por causa dos mapas, mas ainda assim espero por um novo patch para diminuir esse tempo. A boa notícia é que as empresas prometem um suporte longo ao game, então a tendência é apenas melhorar.

A trilha sonora é excelente! A música do mapa dá aquela sensação de filme de ficção científica que nos instiga a dar o próximo passo. A faixa que ocorre durante a batalha também empolga. Os efeitos sonoros, em especial quando acertamos um golpe bem dado no robô inimigo, são simplesmente fantásticos. Me fazendo abrir um sorriso a cada vitória. Por fim, os controles funcionam muito bem. É verdade que o game não exige movimentos precisos, mas é bom cuidar de todos os aspectos.

Veredito

Já joguei dezenas de horas de Star Renegades e ainda quero mais. A sensação de progressão é gostosa, o desafio é alto, mas não de forma exagerada. O game sempre está te mostrando que algo melhorou em relação à jogatina anterior. A temática de sci-fi é ótima, e a “desculpa” para manter o rogue-like é perfeita. Não consigo encontrar muitos defeitos aqui, e por isso é um de meus jogos favoritos deste ano. Agora vou lá começar uma nova campanha, com licença.

*análise feita com código cedido pela distribuidora