[REVIEW] Wind Peaks

Assim que comecei os primeiros minutos em Wind Peaks me senti dentro de um desenho de boas épocas que já se passaram. Curiosamente, nada dessas memórias vieram através de diálogos enigmáticos ou textos nostálgicos. Na verdade, não há palavra alguma, apenas o bom e velho desenho, muito carisma, e pura intuição.

O game recém chegado ao Nintendo Switch é uma aventura do gênero “hidden object”, onde precisamos encontrar cada item especificado no estágio dentro de um local grande cheio de outras coisas que trazem uma fácil distração. Um estilo bem popular no mobile que funciona muito bem no console híbrido da Big N, seja quando jogado em modo portátil ou no dock diretamente na televisão. A partir daí, temos cerca de 10 fases coloridas, cheias de segredos, momentos engraçadinhos, personagens carismáticos, e uma história que vai se desenrolando em cutscenes conforme vamos concluindo os níveis.

Acredito que a melhor forma de descrever a experiência seria como participar de um filme infantil de acampamento dos anos 90. A falta de pretensão, violência e dificuldade faz com que os minutos passados jogando Wind Peaks seja um passeio, permitindo o jogador a curtir em seu próprio tempo, sem frustração ou irritação. A trilha sonora relaxante com sons da natureza ajuda muito a jogatina se tornar algo o mais tranquilo possível.

Todo o estilo gráfico lembra muito desenhos do Cartoon Network e Nickelodeon, as escolhas das cores e o esforço em se distanciar de qualquer fotorrealismo é louvável, especialmente em uma época onde o cinza é a cor predominante em dezenas de games lançados diariamente. A jogabilidade é o mais simples possível, com um botão servindo para realizar ações como achar o objeto ou interagir com o cenário, um botão para controlar a câmera, e dois botões para aproximar ou distanciar a câmera. Nada fora do padrão, mas que cumpre muito bem o seu papel.

Ao todo, a jogatina é curta, mas depende bastante da habilidade em encontrar os objetos por parte do jogador. Há uma opção de ajuda que após uma certa quantidade de tempo passa a apontar o local do item escolhido, ela serve para aqueles que se cansaram de tanto procurar e não tiveram êxito, porém acredito que será pouco usado, já que a dificuldade não é o grande destaque do game. Por último, não há muito o que fazer após concluir a leve aventura, mas isso não quer dizer que não vale a diversão oferecida.

Wind Peaks foi desenvolvido pelo brasileiro Actoon Studio e lançado para Steam em 2020, chegando ao Nintendo Switch em março de 2021.

Veredito

Eu admito que travei em um momento do nível 8 e até acabei me frustrando e colocando o game de lado, mas por causa de sua simplicidade e charme, me vi tentando novamente no dia seguinte, até que consegui encontrar o objeto perfeitamente escondido. Esse acaba sendo um dos grandes valores de Wind Peaks, já que ele consegue prender a atenção e faz o jogador entender que tudo tem o seu tempo, e nada está realmente perdido. Um game bacaninha que vale a diversão, mas em pequenas doses para não acabar logo.

*Análise feita com código cedido pela distribuidora